Hoje é mais fácil encontrar no noticiário esportivo informações sobre o Campeonato Brasileiro de Beisebol do que os resultados do Campeonato Paulista da Quarta Divisão. O Paulista nunca esteve numa competição tão desprestigiada e amadora.

Acredite: nem a Rede Vida está transmitindo o torneio. Para cumprir tabela aos sábados pela manhã, nesse período pós Série A-3 e na expectativa do início da Copa Paulista, a emissora que virou grife para os clubes de divisões inferiores optou por acompanhar o Campeonato Paulista Sub-17, deixando para escanteio a última divisão de profissionais.

Apesar de tudo isso, ainda tem torcedor preocupado com a nomenclatura. Não são raras as críticas recebidas – principalmente nas redes sociais – de gente cobrando a utilização do nome correto do campeonato. Sim, a Federação Paulista de Futebol, ao invés de trabalhar para recuperar as tradicionais forças do Interior, opta por deixar o nome do torneio mais atraente e próximo da elite: “Campeonato Paulista da Segunda Divisão”.

É muito comum alguém escrever para um jornalista que ousa chamar o campeonato de quarta divisão com uma pitada de ódio: “você não sabe nada de futebol”; “você torce contra o Paulista”; “o Paulista caiu para a Segunda Divisão, não para a Quarta seu imbecil”.

Cada um escolhe o caminho que quiser. Existe a visão dentro da realidade, na qual não precisa ser um gênio para entender que a “Segundona” oferece duas vagas para a Série A-3, que é notoriamente a terceira divisão estadual. E existe a mentalidade de quem ainda vive de um status que não existe mais. Seria muito bom se ainda lamentássemos o rebaixamento do Paulista da elite para a segunda divisão, na expectativa de uma rápida volta aos duelos com os maiores clubes do país. Quem quiser acreditar na nomenclatura enganosa da Federação Paulista de Futebol, fique à vontade. Mas lembre-se que uma vez conquistado o acesso, no ano seguinte não teremos Paulista x Corinthians, mas sim Paulista x Olímpia.

Mais importante do que discutir o nome é entender o campeonato. A rabeira do Paulistão está chegando ao momento decisivo: o fim da primeira fase.

29 clubes estão divididos em quatro grupos regionalizados (ou próximos disso). Ali estão no mesmo barco tradicionais que um dia já foram elitizados, como América de Rio Preto, XV de Jau, Jabaquara e São José; pequenos que chegaram perto de crescer, como Vocem de Assis (marcante na história do Paulista), Primavera de Indaiatuba, Francana, Inter de Bebedouro e Taquaritinga; tem os emergentes que estão nascendo e querem se tornar o novo Água Santa, como o Brasílis de Águas de Lindóia, o Manthiqueira de Guaratinguetá e o EC São Bernardo; e tem os participantes que nos fazem lembrar que a última divisão do Paulistão realmente beira o amador, como Assisense, Jaguariúna, Atlético de Mogi das Cruzes e o folclórico Barcelona da Capital Paulista.

De um total de 14 rodadas na primeira fase, 10 já foram realizadas. Em cada grupo, quatro times se classificam para a próxima fase, totalizando 16 equipes que se enfrentarão até só restarem dois.

É muito time para pouca vaga. Cada grupo tem um líder isolado que desponta como candidato ao acesso: Vocem no Grupo 1 (ainda invicto), XV de Jaú no Grupo 2 (7 pontos a mais que o segundo colocado Brasílis), EC São Bernardo no Grupo 3 (embora o Primavera, colado em pontuação, também já esteja classificado) e o Manthiqueira que lidera o Grupo 4 (sem folgas, mas com 7 vitórias em 9 jogos).

A preparação para o Campeonato Paulista da Quarta Divisão começa agora, estudando o formato, os possíveis futuros adversários, entendendo como se monta um time competitivo num torneio quase sem nenhuma visibilidade. E é bom que o Paulista não caia nessa falsa ilusão de “segundona”, de achar que é grande demais para o campeonato, porque a falta de humildade para disputar torneios intermediários, sempre acreditando que o peso da camisa seria suficiente para se garantir em primeiro, foi fator determinante para jogar o Galo no fundo do poço.


Heitor Freddo é jornalista do Time Forte do Esporte da Rádio Difusora Jundiaí e apresenta diariamente o Programa Batendo Bola às 11h15