A estreia do Paulista na Série A3 foi decepcionante. Com um tempo de preparação maior, o mínimo que se esperava ver em Limeira era um pouco de entrosamento, mas o que o Paulista apresentou ficou longe disso. Um time espaçado, sem jogadas que pudessem envolver o adversário e, o mais preocupante, sem vibração.

Justamente logo após a bela campanha do Galinho na Copa São Paulo, onde a característica do time era essa vibração, com a garra e entrega que tanto o torcedor do Paulista gosta de ver dentro de campo.

Assim ficaram inevitáveis as comparações entre os dois times e os dois treinadores. Com apenas um jogo, a torcida já cobra maior participação dos jogadores da Copinha no time principal e aí é que está o dilema.

As duas competições são bem diferentes e nisso Carlinhos Alves está certo, mas errou em Limeira.

Errou em registrar na primeira rodada 21 jogadores, sabendo do limite que o regulamento impõe. A maioria dos clubes, tanto da Série A3 quanto da A2, inscreveram em média 18 jogadores, os que seriam usados na primeira rodada, enquanto no elenco do Paulista restam apenas sete vagas para serem disputadas entre os reforços indicados por Carlinhos e os meninos que ganharam a chance de treinar com o profissional.

Errou ao escalar João Paulo, que falhou no primeiro gol da Inter de Limeira e errou ao levar Iago contundido para o banco de reservas, tendo um goleiro como Enzo disponível no elenco e que está, como dizem no futebol, “voando”. Acabou de ser eleito o melhor goleiro da Copinha entre 120 times, está com ritmo de jogo e nas graças da torcida.

Errou no esquema tático, com três jogadores a frente sem um meia de função para fazer a bola chegar perto do gol adversário. Douglas improvisado no meio já não deu certo na Copa Paulista e neste jogo também foi nulo. Brayan foi eleito o melhor camisa 10 da Copinha e mostrou-se estar totalmente recuperado da cirurgia que foi submetido na temporada passada.

Como explicar dois jogadores que apareceram na seleção da Copa São Paulo não estarem nem no banco do time que disputa a Série A3?

Errou ao ser expulso, ainda que o juiz tenha sido rigoroso, e ainda que não tivesse sido, mostrou-se nervoso na beira do gramado e transmitiu isso para os jogadores. Jaílton escapou de ser expulso ainda no primeiro tempo por lances infantis.

Pontos positivos da estreia? Nenhum.

Agora Carlinhos terá a chance de provar que o que aconteceu em Limeira foi apenas uma manhã infeliz, que as suas convicções, seus reforços e seu estilo podem levar o Paulista a brigar pelo acesso.

Ainda que seja início de campeonato, serão duas provas de fogo para o treinador. Fazer seis pontos contra Nacional e Atibaia é fundamental.

Se antes mesmo do campeonato começar o acesso já era tratado como obrigação pela torcida, agora a pressão será ainda maior pelo que o time deixou de mostrar dentro de campo. Se nestes dois jogos os resultados e, principalmente, as atuações do time não convencerem, a sombra de Umberto pode tornar-se a luz que o Paulista precisa novamente. E podem ter certeza, a torcida vai cobrar isso.

_____________________________________________________________________________________________________________

11659404_900855979996273_4610198849806815416_nIVAN GOTTARDO é engenheiro. Fanático pelo Paulista, desenvolve, no peito e na raça, um trabalho de resgate da história do clube.