Fundado em 5 de janeiro de 1957, somente quarenta anos depois o time da Vila Maringá experimentaria a glória das disputas mais importantes que nenhum outro time jundiaiense jamais experimentou, o título da Copa Kaiser (1996) num ano e o vice no ano seguinte (1997), dirigido pelo técnico Zé Augusto.

Em 1996, campeão do Amador de Jundiaí, empatou em Nova Odessa (0x0) e em Jundiaí, no Dal Santo (1×1). A vitória veio nos pênaltis.

No ano seguinte, derrota em Rio Claro por 3×1, vitória pelo mesmo placar em Jundiaí e derrota nos pênaltis perdidos por Juninho e Quarté.

Nos anos seguintes, ficou de olho num jovem e promissor técnico, Rodrigo Alves, que chegou em 2002 e ficou também em 2003 e 2004, ano que o Cruzeiro ganhou seu último título ao vencer o União da Vila por 1×0, gol do Gil Baiano aos 43 minutos do segundo tempo (O primeiro jogo tinha terminado 0x0).

Depois de ser rebaixado, voltou bem no ano passado, foi o 4° colocado na fase de classificação. Nas quartas de final, empatou com o Palmeiras por 3×3 e perdeu o segundo jogo por 3×2. Resultado: trouxe o técnico do Alviverde, Fordinho.

A expectativa é repetir o desempenho do ano passado e, se possível, ir mais longe.

Para isso, manteve a base e contratou apenas jogadores pontuais indicados pelo técnico. Mas continua em busca de jogadores excepcionais e baratos, desde que sejam de grupo e venham sentir honra em vestir a camisa do Cruzeiro, que nem é mais da Vila Maringá. Tem que ser jogador de grupo, agregador.

_____________________________________________________________________________________________________________

matiasJOSÉ REGINALDO MATIAS DE SOUZA é economista e presidente do Clube Atlético Aliança. Durante cinco anos, manteve a coluna ‘Papo de Várzea’ no extinto jornal Bom Dia.