A tarde de sábado em Jayme Cintra nos proporcionou um espetáculo grotesco. Time e torcida se uniram numa mistura bizarra de intolerância, xingamentos e falta de apoio.

Dentro de campo, mais do mesmo: zaga mole, meio campo ineficiente e ataque inofensivo. Um time esforçado, mas de qualidade técnica risível.

Fora de campo, uma “torcida” diferente: nenhuma palavra de apoio, xingamentos para todos os lados (juiz, time adversário e próprios jogadores).

Tivesse eu um filho, o Jayme Cintra seria o último lugar em que eu o levaria.

O gol no final, claro, amenizou os problemas. Saímos da degola! Festa, alegria e abraços nas arquibancadas.

Futebol é competição, mas também entretenimento. Quem buscava no sábado à tarde distração e diversão, encontrou irritação e falta de educação. Uma pena….

___________________________________________________________________

regisRÉGIS FORTI é apaixonado por futebol desde que acordava nos domingos de manhã para ver jogos do Campeonato Italiano na Band. Fã de Messi, do Paulista e de futebol internacional. Engenheiro de formação e dublê de jornalista (frustrado). Foi um dos criadores do lendário Galonet.