Stand com campinho montado, música, atletas uniformizados e brindes. Esse foi o cenário que os visitantes do Parque da Cidade encontraram neste sábado, no evento Ocelots Game Show promovido pela equipe do Ocelots, que atraiu a curiosidade do público.

Visando divulgar o time e o jogo do próximo final de semana, contra o Corinthians Steamrollers, em Jundiaí – dia 9 de abril no Jayme Cintra -, a diretoria da jaguatirica montou um centro de vivência do esporte, onde os visitantes poderiam chutar ou lançar a bola nos alvos demarcados. Além disso, as pessoas puderam bater bola com os jogadores uniformizados.

“A população, em geral, é muito distante do esporte e com esses eventos buscamos estreitar essa relação torcedor-atleta. Podemos mostrar que todos podem participar, todos podem jogar, não importa o sexo ou o físico”, diz Diego Prestes, diretor de marketing da equipe e idealizador do evento.

Alex Santos virou torcedor do Ocelots

Esse foi o primeiro evento de uma agenda que promete ser cheia: “Pretendemos fazer mais eventos desse tipo, em locais variados. Só assim podemos divulgar nossa marca, quebrar tabu que é um esporte violento e dar uma noção das dificuldades enfrentadas pelos atletas ao realizar algumas jogadas”, completa Prestes.

Visando estreitar a relação e criar identidade com o público, alguns jogadores também marcaram presença no Parque da Cidade. Todos uniformizados atraíam a atenção, principalmente das crianças: “Através das crianças a gente atrai a família para os eventos e para os jogos. E é isso que queremos mostrar, que o futebol americano promove a interação da família”, afirma Cancella, jogador da equipe.

Cancella e Alemão: vivência no Parque

“Além disso, a gente cria identidade com eles, o que os atrai para os jogos, além de os deixarem cada vez mais interessados no esporte”, completa Alemão, também jogador.

Se o objetivo era expandir a marca e divulgar o esporte, a equipe conseguiu. Pelo menos é o que garante Alex Santos, de 35 anos, que estava no parque com a família quando viu o evento, que atraiu atenção dos filhos e o fez também participar: “Eu nunca tive contato com futebol americano e nem conhecia os Ocelots. Sempre achei um esporte violento, mas estou vendo que é exatamente o contrário. Muito interessante o que estão fazendo aqui hoje”. E, segundo ele, o time jundiaiense ganhou mais um torcedor: “Assim como meus filhos, também quero ir assistir ao jogo da semana que vem e conhecer mais desse esporte”, garante.

Evento promove jogo no dia 9 em Jundiaí