Com jundiaienses, Bravus Race acontece neste domingo

Prova com obstáculos exige força e superação dos atletas

Fernando participou na edição passada e espera superar mais obstáculos este ano. Foto: Acervo Pessoal

Força, coragem e superação. Ingredientes determinantes para quem vai participar da Bravus Race – Etapa Fire, em São Paulo, neste domingo. A prova consiste em um percurso de 8 km, com 20 obstáculos diferentes – cordas, água gelada e paredes de escalada estão no caminho. E onde tem esporte, tem jundiaiense participando.

Coragem faz parte do vocabulário de Ricardo Zomignani, que, pela primeira vez vai participar da prova. Com o agravante de um dos dedos da mão estar fraturado, que quase o fez desistir da disputa.

“Vou participar dessa prova para testar os meus limites físicos e tentar completar a prova, mesmo com essa fratura. É uma prova muito difícil e que combina muito com o crossfit. Nos treinamentos, levantamos uma carga pesada e passamos por alguns desafios que vou encontrar na prova. Acho que é o melhor treinamento para realizar esse tipo de prova”, conta.

O começo da paixão por esportes de alta exigência física começou há dois anos. E Zomignani garante que vem mais por aí.

“Eu comecei a treinar crossfit para fugir da monotonia da musculação tradicional. Apesar de já ter interesse em participar de provas do estilo da Bravus, me apaixonei ainda mais pela modalidade. Projeto também participar da Spartan Race, quando vier para São Paulo”, completa.

Ricardo espera completar a prova. Foto: Acervo Pessoal

Em busca de superação está Natália Dardis. Também praticante de crossfit, o objetivo está muito além de conquistar alguma medalha. A maior vitória será passar por um antigo obstáculo.

“Eu estou indo para testar meus limites e, principalmente, tentar superar o meu medo de altura, que carrego desde a infância. Nos treinos eu consegui amenizar um pouco, mas acho que uma prova com obstáculos como rampa e cordas escorregadias será um grande teste. No fim espero me divertir com tudo isso”, projeta.

Já veterano e indo para a segunda participação da prova, Fernando Gebram chega com uma visão mais leve da prova.

“É uma experiência fantástica. Envolve muita adrenalina. Mistura de medo com coragem. Participo sempre em grupo e todos se ajudam. O clima da corrida é muito bom”, conta.

“Neste ano vamos encarar uma prova um pouco mais extensa. Cerca de 3 km a mais. E por ter uma noção de como é a prova, vamos buscar superar mais obstáculos que foram deixados para trás na primeira vez”, completa.

Mais informações sobre inscrições e detalhes da corrida estão no site da competição.