Catanduvense pode ser excluída da A3 na segunda-feira

Paulista

Catanduvense pode ser excluída da A3 na segunda-feira

O futuro do Grêmio Catanduvense na Série A3 do Campeonato Paulista será definido nesta segunda-feira (6), às 16h30, em São Paulo. No julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol, o clube saberá se continua ou será excluído da competição.

A equipe de Catanduva foi citada no artigo 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (“Deixar de disputar, sem justa causa, partida, prova ou equivalente na respectiva modalidade, ou dar causa à sua não realização ou à sua suspensão”).

O Catanduvense perdeu dois jogos sem nem entrar em campo: contra Taboão da Serra e São Carlos.

Com o estádio Sílvio Salles interditado pela reprovação do laudo de segurança, o time não indicou a tempo um novo local para a realização das partidas.

De acordo com o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), a reincidência na suspensão de uma partida sem justa causa resulta na eliminação do clube, além de multa.

Embora a situação seja delicada, o presidente do Catanduvense garante estar confiante na manutenção do time na disputa da A3. “Vamos mostrar que temos um estádio apto e que aconteceram coisas políticas nos bastidores que nos prejudicaram. Nós tentamos até a última hora para que tivesse o jogo contra o São Carlos. Temos nossa culpa, mas acreditamos que o estádio seria liberado”, disse Reginaldo Marcelo Borges, o Alemão, em entrevista ao Futebol Interior.

Três pontos

Caso o Catanduvense seja excluído da A3, mudanças significativas devem acontecer na tabela de classificação. De acordo com o Regulamento Geral das Competições da Federação Paulista de Futebol, “as partidas disputadas serão consideradas válidas e as ainda não disputadas serão decididas por W.O. em favor dos adversários”.

Neste caso, o Paulista seria um dos beneficiados, sendo o vencedor pelo placar de 3 a 0 do jogo previsto para o dia 22 de março.

Jurisprudência

Situação muito parecida aconteceu na Série A3 de 2015, quando o Cotia não pode utilizar o estádio Euclides Almeida e os jogos contra Sertãozinho e Taubaté não aconteceram.

Em julgamento no dia 13 de abril daquele ano, o clube foi excluído do campeonato.

Com o resultado do julgamento, os jogos já disputados tiveram seus resultados mantidos, enquanto os agendados para depois da eliminação no tribunal tiveram decretados o placar administrativo.


Comente
Subir
X