Amor, coragem e força são os combustíveis da Tia Neuza

Paulista

Amor, coragem e força são os combustíveis da Tia Neuza

Impossível não se sentir à vontade ao lado de Neuza das Graças Carrijo Andrade, 60 anos.

Basta poucos minutos de conversa, para perceber a força desta mulher de 60 anos. Tia Neuza, como é conhecida, é nascida em Ibiraci-MG, mas cresceu em Franca, interior paulista.

Lá, trabalhou em restaurante, fábrica de calçados, fez trabalho voluntário com dependentes químicos e há oito anos veio para Jundiaí para acompanhar o filho Brendon, volante do Paulista, após falecimento do marido.

Do alto de sua casa no Jardim Pacaembu, ela, que ainda tem mais dois filhos morando em Franca, observa tudo o que acontece na “sua segunda casa”, o vizinho estádio Jayme Cintra.

O amor pelo clube transborda e transparece a cada palavra e vira e mexe ta a Tia Neuza ajudando voluntariamente o clube.

“Eu só não fui escalada para jogar, porque ainda não me deixaram. No clube já ajudei em tudo e isso não me custa nada. Tudo que eu preciso eu encontro ali e brigo toda vez que falam mal do Paulista. Ninguém mexe com meu Paulista”, explica.

Durante a campanha histórica do Paulista na Copa São Paulo deste ano, Tia Neuza decidiu ajudar o clube deixando os banheiros do clube em ordem para receber os torcedores.

“Frequentei muito estádio fora acompanhando o Paulista e sofri com a situação dos banheiros. Tinha prometido que quando Jundiaí fosse sede, eu não deixaria isso acontecer. Com ajuda de um empresário, eu comprei produtos de limpeza e não deixei nem faltar papel higiênico nas partidas”, afirmou. “Criticar é fácil, quero ver ajudar”.

Casa da Tia Neuza é a morada de muitos atletas

Ela já tem um projeto pronto para realizar eventos para ajudar o clube -, como vendas de pizza, festa junina.

“Não vamos arrecadar os milhões que o Paulista precisa, mas o dinheiro arrecadado será usado para comprar as coisas do dia a dia que o clube precisa, como material de limpeza e novos produtos para a cozinha. É mais uma forma de fazer o clube economizar”, explicou.

Nossa casa

Se o Jayme Cintra é a segunda casa de Tia Neuza, a sua é onde vários jogadores encontram momentos de conforto, comida boa, carinho e conselhos.

“Muitos atletas já moraram aqui comigo, já acolhi famílias deles e eles nunca perdem mais o contato comigo. Nem sei quantos jogadores passaram por aqui.”

Entre os jogadores que já receberam carinho e conselhos dela e passaram pela sua casa estão Weldinho (Figueirense), Vagner (Mirassol), Willian Rocha (Red Bull), Nenê Bonilha (Nacional, Portugal), Cléber (Santos), Ytalo (Audax), Ygor Vinhas (Capivariano). Filhos que ela adotou e ganharam o mundo.

Na última segunda-feira, ela completou 60 anos e não parou de responder mensagens de parabéns do seus meninos.

“Recebi mensagem do Brasil inteiro dos meus jogadores”.

Apesar da distância, ela não deixa de acompanhar os atletas e sabe de cor e salteado como foi o desempenho de cada um na rodada do final de semana.

Mãe, conselheira, batalhadora, protagonista, corajosa, guerreira. Adjetivos não faltam para identificar esta mulher.

“Eu só peço saúde e força para lutar. Eu não paro de trabalhar, faço meus doces e salgados para vender e vou tocando a vida.”

Enquanto existirem figuras com a  Tia Neuza, a luz do Paulista não vai apagar. Todo mundo merece uma vez na vida trocar uma prosa com esta mulher de fibra.


Comente
Subir