Em dez anos, sete rebaixamentos no Jayme Cintra

Paulista

Em dez anos, sete rebaixamentos no Jayme Cintra

Gustavo Amorim

Nos últimos dez anos, o que se viu no estádio Jayme Cintra foi muita promessa, sonhos pirotécnicos de dirigentes, parcerias furadas e o sofrimento do torcedor. A briga contra o rebaixamento virou rotina no clube.

De 2007 para cá, a equipe sofreu seis quedas: para a Série C do Brasileiro em 2007, Série D em 2008, sem divisão nacional em 2009, Série A2 do Estadual em 2014, Série A3 em 2016 e Série B do Paulista agora.

Quedas e brigas contra a degola

Em 2007, a equipe foi rebaixada da Série B do Campeonato Brasileiro para a Série C, com um time que tinha Rodrigo Fabri, Marcos Denner, Victor, entre outros.

Um ano depois, a equipe caiu para a Série D do Brasileiro, em uma campanha que contou com Moacir Junior e Luiz Carlos Ferreira como técnicos e um time que tinha o atacante Eraldo no elenco, que deixou nenhuma saudade na torcida.

Em 2009, o Galo quase caiu no Estadual e se salvou na última rodada. Mas no Estadual, o time fez péssima campanha e ficou sem série no Brasileiro, uma espécie de rebaixamento. A partir deste ano, o Paulista deixou de disputar o Brasileiro por conta da campanha na Série D.

Em 2010, o fantasma assustou até o final e o Galo escapou na última rodada do Estadual ao vencer o Palmeiras por 3 a 1. Depois, no segundo semestre, conquistou a Copa Paulista sob o comando de Fernando Diniz.

No Estadual do ano seguinte, o Galo escapou da degola na últimas rodadas e no segundo semestre foi campeão da Copa Paulista..

Em  2012, se livrou do rebaixamento, mesmo com 6 jogos sem vencer em sequência. Em 2013, com Giba, brigou até o final contra a degola e se salvou no Paulistão.

Queda no Estadual
Em 2014, de tanto ‘namorar’ a parte debaixo, o time foi degolado no Estadual. Começou a competição com Giba, teve Marcio Bittencourt e depois Beto Cavalcante.

Em 2016, novo rebaixamento em uma sucessão de equívocos, com técnico português, parceria fake e o grupo Novo Paulista abandonando o barco. Queda para a Série A3 após empate sem gols com o Santo André.

Neste ano, a quarta divisão do Estadual chegou.


Comente
Subir