Jurídico tenta suspender leilão do Jayme Cintra

O Paulista ainda tem esperança de evitar o leilão do estádio Jayme Cintra, marcado para o próximo dia 27. O departamento jurídico do clube vem trabalhando para conseguir a suspensão da decisão do juiz Jorge Luiz Souto Maior, da 3ª Vara Trabalhista de Jundiaí.

“Teremos novidades nos próximos dias”, afirmou o presidente do Conselho de Administração do Paulista, Cláudio Levada, durante reunião na noite de terça-feira.

O Paulista argumenta que as execuções deveriam estar todas agrupadas na 2ª Vara Trabalhista, onde foi criado o ‘Condomínio de Credores’ e onde o clube tem bloqueados recursos de cotas da Federação Paulista de Futebol e de negociações de jogadores justamente para o pagamento de dívidas trabalhistas.

“Jundiaí tem quatro varas trabalhistas e três aceitaram encaminhar as execuções para esse condomínio. Só a 3ª Vara não aceitou, numa decisão que eu considero questionável juridicamente. Se temos dinheiro bloqueado para o pagamento gradativo da dívida no Condomínio de Credores, como vamos pagar essa outra dívida?”, questionou Levada.

Utilidade Pública

Levada também comentou com os conselheiros a possibilidade de tombamento do estádio Jayme Cintra e sinalizou com outra possibilidade, a de declaração de utilidade pública.

“O tombamento é bastante restritivo, talvez seja mais viável a utilidade pública, até por ser reversível. O Luiz Fernando (prefeito de Jundiaí) está atento a isso”, disse.