Ansiedade e nervosismo tomaram conta do ginásio do Complexo Esportivo Nicolino de Lucca, o Bolão, nesta quinta-feira (23) durante a peneira promovida no local para garimpar talentos para as equipes de vôlei masculina da cidade.

Na última terça, a seletiva foi para categoria feminina e envolveu 80 garotas – nesta quinta o mesmo número de garotos tentou uma vaga para as equipes da cidade.

Kaio Lucas (foto), de 15 anos, veio de Brasília-DF para buscar o sonho de fazer carreira no esporte como líbero. Ele mora desde o ano passado com os avós na cidade.

“Vim de Brasília para cá com o objetivo de jogar vôlei. Quero seguir careira no esporte e sei que em Jundiaí existe apoio na base”, afirmou ele, que não escondia o nervosismo.  “Espero me dar bem.”

Nicolas Roberto de Azevedo, com 12 anos, ficou sabendo da seletiva pela mãe. Praticando atletismo e vôlei, ele espera que depois da seletiva decida apostar somente em uma modalidade. “Se eu for aprovado, vou me dedicar só ao vôlei”, prometeu.

Marcelo Pimentel e Carlos Calabresi orientam os garotos

A seletiva realizada em dois dias serviu para completar as equipes de base da cidade e aumentar o nível técnico delas, conforme afirmou o coordenador da modalidade, Carlos Calabresi.

“Queremos fomentar a modalidade.  Passamos por uma fase de reestruturação no esporte da cidade e este ano vamos preparar a base para voltarmos mais fortes no ano que vem. Vamos montar o alicerce em 2017” afirmou.

Os aprovados vão ingressar as equipes que disputam este ano os campeonatos oficiais da Liga Regional, Jogos da Juventude, Jogos Regionais e Jogos Abertos. Os atletas quem não forem aprovados serão encaminhados para as escolinhas de vôlei dos centros esportivos da cidade.

Calebresi, além da coordenação, vai cuidar o mirim e pré-mirim do masculino. As categorias adulto, infanto e infantil do masculino ficarão a cargo do técnico Marcelo Pimentel.

“Diante da crise financeira da cidade, vamos carregar o piano este ano para fortalecermos as equipes e a nossa estrutura no ano que vem. Não vamos deixar o vôlei morrer na cidade.”

No feminino, Moacir Regra e Ademir Zamboni dividirão os comandos das equipes. O primeiro fica com o Sub13 e 17, Zamboni com o Sub15 e adulto.

“Nossa base é boa e vamos agora organizar nosso time adulto”, revelou Zamboni.